sábado, 2 de agosto de 2014

Perfumes




Dessas ruas escuras,
vazias,
sempre exalam cheiros e perfumes teus,
porque para mim
toda a doçura que há no mundo é tua.

Nessas ruas anoitecidas
e silenciosas,
por onde passo pra qualquer lugar
(sou eu quem atravesso a cidade)
e piso seus calçamentos desconfortáveis,
alguma voz, uma conversa de portão,
eu atravesso.

Nessas ruas sonolentas
por onde passo
sem sequer perceber,
é você quem amorena a minha mente
e se faz lua nesse céu nublado.
É você quem enche meus pulmões
desses aromas sonhados, recordados...
que me fazem percorrer pela cidade novamente,
e mais uma vez,
depois de já ter por ela toda caminhado...

2 comentários:

  1. Parabéns, Glauber! Você me emociona! Gosto da tua escrita, mais que chocolate!

    ResponderExcluir